Destaques

Copa da França em 1938: Um mundial às portas da guerra

Por Marcos Vinicius
Se não fosse Jules Rimet, a Copa do Mundo de 1938 na França, serviria de propaganda política para Adolf Hitler. Com isso, Rimet quis provar que o evento esportivo às vésperas da Segunda Guerra Mundial venceria o Governo Hitleriano e qualquer finalidade que não fosse voltada ao esporte. Com a pior média de público da história dos mundiais – aproximadamente 21 mil torcedores por partida – a Copa da França foi marcada pela ausência da Argentina, Espanha, Inglaterra e Uruguai. E pela primeira vez o vencedor da Copa anterior e o anfitrião estavam automaticamente classificados. Nas eliminatórias, dos 36 países, coube ao Brasil se classificar com a desistência da Bolívia. Com raríssimas surpresas – como a eliminação da fortíssima Alemanha pela modesta Suíça – a Seleção Italiana era a grande favorita ao segundo título, apesar do bom futebol praticado pelo Brasil. Na semifinal, Brasil x Itália foi considerada por todos como uma “final antecipada”.

E foi no dia 19 de junho, no Estádio Olympique Colombes, em Paris, que os húngaros demonstraram a incapacidade de conter o ímpeto do setor ofensivo dos italianos, que com um maiúsculo 4 a 2, vencia a final e chutava para longe a soberba fascista Hitleriana com o bicampeonato mundial.

Itália Campeã

Enfim, o Brasil joga futebol
O Brasil enfim, joga futebol de verdade e honra suas tradições no cenário internacional. Sem as brigas bairristas que atrapalharam nas Copas passadas, um 6 a 5 contra a Polônia seria o cartão de visita da equipe brasileira. Em seguida, por duas vezes o Brasil enfrentou a Tchecoslováquia – um empate em 1 a 1 e uma vitória por 2 a 1 – e se garantiu na semifinal. Porém, contra a Itália, alguns adendos negativos foram determinantes para selar o destino brasileiro naquele Mundial mas um em especial foi causador do resultado: a escolha equivocada do técnico Ademar Pimenta em deixar Leônidas no banco de reservas, alegando uma contusão, quando o nosso craque estaria em condições de atuar já que vinha fazendo a diferença em campo. O resultado não poderia ser outro e os 2 a 1 para os italianos só não causou mais estragos pelos 4 a 2 na Suécia e um honroso terceiro lugar, nossa melhor colocação até ali.

Curiosidade da Copa
A Rádio Club do Brasil entrou para a história dos meios de comunicação ao ter feito a primeira transmissão internacional em uma Copa do Mundo, na partida Brasil e Polônia, com narração de Gagliano Netto.
* Fontes para consulta:ilustração extraída do livro “150 Curiosidades das Copas do Mundo”, de Gustavo Roman com charges de Vinicius.

Fato Histórico
Passa a ser transmitido para o país todo, o programa oficial de rádio, Hora do Brasil com a célebre frase: “Em Brasília, dezenove horas”.

País Sede
França

Classificação Final
Itália – Campeã
Hungria – Vice-campeã
Brasil – 3º lugar
Suécia – 4º lugar
Tchecoslováquia – 5º lugar
Suiça – 6º lugar
Cuba – 7º lugar
França – 8º lugar
Romênia – 9º lugar
Alemanha – 10º lugar
Polònia – 11º lugar
Noruega – 12º lugar
Bélgica – 13º lugar
Holanda -14º lugar
Índias Holandesas – 15º lugar

Artilheiro da Competição
O inventor da bicicleta, Leônidas da Silva, terminou a competição com sete gols em três jogos. Mas há divergências, já que jornais afirmam que foram sete e alguns veículos de comunicação diziam ter sido oito. O próprio Diamante Negro, em suas contas, afirmou que foram mesmo sete gols.

Craque da Copa
Ninguém era mais notado dentro das quatro linhas do que o artilheiro Silvio Piola, da Azurra. Oportunista, rápido e com faro de gol, o jogador só não marcou contra o Brasil mas mesmo assim tem 30 gols em 34 partidas disputadas ao longo da carreira.

Frase
“Voltem immediatamente”
(Manchete do jornal “Gazeta de Notícias” após a eliminação na Copa).

Zebra
Cuba 2 x 1 Romênia
Até aquele momento, a Romênia – que ao lado do Brasil, era o único país a participar das três edições – era respeitada no cenário Mundial.

Bola
Com os mesmos 12 gomos, a bola era muito semelhante com as anteriores.

Cobertura
O imediatismo e a instantaneidade levavam as ondas sonoras para qualquer lugar do mundo ou qualquer campo de futebol. Se o físico alemão Heinrich Rudolf Hertz, fez sua primeira transmissão de palavra falada, através de ondas eletromagnéticas, em 1887, foi na França, que o rádio foi pela primeira vez, o meio de comunicação de cobertura daquele Mundial.